Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Séries de fufas - Faking It

por Lucelia, em 28.04.14

MTV Shows

 

A coisa tem estado muito morna por estes lados, é do tempo ou da falta de paciência para andar a ver o que se passa por essa net fora até porque ultimamente ou é de mim ou me parece que as coisas já estiveram melhores para os nossos lados, dizem que é da crise mas se fossemos agora ficar à espera de melhores dias não havia sexo para ninguém durante muitos e longos anos! Enfim adiante que daqui a pouco a Cátia chega e vai começar a atazanar-me o juízo porque ela não gosta nada que eu esteja na net, nem sei bem porquê porque eu o que vejo mais é receitas de bolos e de tartes e de quiches e tudo com muito bom aspecto porque se há coisa que não existe na net é más experiências culinárias, dessas e das outras, mas das outras não posso falar se não a Cátia apanha-me já com a boca na botija que é uma limpeza.

 

Nas minhas deambulações virtuais encontrei esta série que me parece ser interessante, não pelo tema em si mas porque uma das moças tem potencial. O tema vai-se a ver e até que é relevante se bem que só na América é que duas miúdas iam inventar que eram fufas para serem populares no liceu, se bem que uma delas é mesmo, ó se é! E esse deverá ser o busílis da questão, ou seja começam por inventar um romance entre elas e depois uma delas vai querer mesmo saber o que é saltar para as cue... coelhinhos, vão é querer saltar como os coelhos e uma delas vai gostar mais do que a outra que não vai perceber porquê tanta tensão com um par de mam... digo saltos e por aí fora já se está a ver que vai dar confusão e que a série não vai prestar para nada mas a mocita fufa-quase-lá vale uns minutinhos da nossa atenção. Essa se eu a visse por aqui trazia-a logo para a minha beira e explicava-lhe uma coisita ou outra sobre miúdas parvas que se fazem passar por lésbicas para engatarem rapazes!

 

Vamos lá por partes, eu não digo que uma pessoa não experimente cenas no liceu, que é precisamente uma altura da vida que se presta a esse tipo de devaneios. Agora inventar que se é uma coisa que não se é só para ganhar pontos é uma enorme estupidez, e além disso leva a situações de rejeição em que não ganhamos nada, a não ser uma enorme chapada na cara que foi o que me aconteceu quando me declarei à Tininha por trás do pavilhão de ginástica e caí para cima dela assim como se me estivesse a dar um fanico mas não estava, era só porque ela trazia um decote daqueles que não nos deixam olhar para mais lado nenhum e depois eu em vez de me fingir de desvanecida fui logo garganeira e pus-lhe as mãos por baixo da camisola e ela claro, pumba no toutiço para eu não me ficar a rir! Em minha defesa devo dizer que tinha quase a certeza que a Tininha ia gostar das minhas mãos de fada, por coisas que agora não posso contar aqui porque ela era menor, embora eu também fosse mas eu sempre era virgem!

 

Por causa da Tininha e de outras ainda antes dela eu sempre soube que era lésbica dos quatro costados, e daquelas que nem com palas nos olhos e uma mola no nariz conseguiria deitar-me ao lado dum gajo, quanto mais depois deixar que ele me fizesse as coisas que os homens fazem às mulheres, cruzes credo, que nojo! É verdade que sempre tive aversão a homens, a começar logo pelo meu irmão que é um parvalhão de primeira apanha e que é homossexual mas não é por causa disso que ele é parvo e cínico. Nunca me entendi com ele e comecei logo a ganhar aversão ao outro sexo assim que percebi que ele era tudo para ele e nada para mais ninguém, egoísta, mesquinho, enfim, já me está aqui a dar voltas só de pensar, o melhor que ele fez foi mesmo emigrar! Tenho aversão a homens e a crianças, estas últimas um dia contarei as histórias que levaram à minha baixa prolongada mas por enquanto ainda é cedo e não me posso exaltar porque me começam logo a dar umas pontadas aqui no peito e começo a ver umas estrelinhas a piscar e isso dá-me cá uns ataques de ansiedade que não passam nem com dois ou três comprimidos.

 

Também tinha aversão aos animais mas agora tem dias desde que estive presa e conheci uma lésbica gordalhufa que se chamava Eva Gina o que era um bocado irónico considerando que ela já nem possuía a dita cuja. A Eva contou-me que foi o cão dela, que era zarolho mas que tinha um faro como nunca se tinha visto, que detectou que ela tinha um problema nas partes intimas e que se arreliava tanto quando ela o punha ao colo que a levou a suspeitar que havia ali qualquer coisa de errado. E foi o rafeiro que lhe salvou a vida apesar de não lhe ter salvo a va... enfim, isso, que o médico teve que lhe tirar tudo e ela ficou frígida o que lhe estragou brutalmente a vida porque vivia de esquemas com estrangeiras que vinham cá à procura de sol, sal e sexo. Foi uma dessas estrangeiras que a denunciou quando percebeu que a Eva Gina já nem sequer a tinha e sentindo-se defraudada foi à polícia e ela foi dentro, o que foi uma grandessíssima injustiça porque a Eva podia já não ter va... mas tinha dedos e língua, tá bem que ficava metade do serviço por fazer mas uma pessoa tem que ir a jogo com o que tem, mesmo que prometa mais do que aquilo que pode dar!

 

Se calhar por isso esta nova série já me está a causar uma certa urticária, porque começa com muitas promessas e a gente já está mesmo a ver como é que aquilo vai acabar. A miúda que é fufa vai-se apaixonar pela outra que não vai estar nem aí e vai ser um desatino a não ser que apareça uma toda giraça para a salvar, era bom, estamos a precisar de heroínas no mundo das fufas, tal é a desgraça que vai por esse mundo fora, é que parece que é só histórias de gajos, com gajos e para gajos, irra que já começa a enjoar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:46



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Links

Linques úteis




Sitemetro