Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A festa de despedida

por Lucelia, em 14.01.14

 

 

Preferia mil vezes não ter que admitir que nada disto me agrada minimamente porque tenho a certezinha absoluta que isto vai acabar mal ó se vai! É que se eu conseguisse mesmo prever o futuro nem saía da cama, e eu disse isso à Zefa quando ela me veio dizer que precisava de antecipar o casamento porque a namorada dela está grávida e ela sempre quis ser pai portanto resolveu aceitar toda a situação sem questionar e eu acho mal mas não vou dizer mais nada porque depois dizem que eu é que tenho este feitio que até parece que tenho que andar sempre a dizer mal de tudo e de todos e não é bem assim, eu só digo aquilo que vejo, se vejo melhor que elas olha paciência que vão pedir à Maria Antónia que lhes faça um desconto lá na óptica para ver se deixam de ter vistas curtas!

 

Bom mas voltando ao tema do casamento da Zefa eu até lhe disse que seria melhor esperar pela lei da co-adopção porque aquilo foi aprovado mas agora parece que há lá um moço que acha mal e quer voltar atrás com a lei e se fosse eu obrigava-o a assumir a paternidade do filho da namorada da Zefa para ele ver o que era bom para a tosse, agora impedir pessoas que querem ser pais e mães de o serem só porque a sementinha veio doutros lados, até parece que somos todos filhos biológicos dos nosso pais, há-de ser há-de que o meu irmão tem uma penca tal qual o Onófrio dos ferros velhos e só o meu pai é que nunca percebeu que um rapagão daqueles nunca poderia ter sido prematuro, mas ele nunca foi bom de contas e também nunca ninguém lhe quis dizer as coisas tal como elas são porque o meu pai era um homem tão bom e generoso que perfilhava qualquer coisa que saísse do ventre da minha mãe se ela lhe pedisse.

 

Mas a Zefa diz que sente o relógio biológico que é assim uma coisa que agora está muito na moda e toda a gente diz que ouve aquilo a bater dentro de si mas felizmente a mim é mal que não me aflige porque eu sempre soube que ter filhos era coisa que não me assistia. A Rosalina perguntou como é que tinha sido possível e a Zefa disse-lhe que tinha sido obra de Deus e ela até ficou um bocado chateada porque está farta de pedir a Deus que lhe mande criancinhas e Ele nada, mas à Zefa que nem vai à igreja nem nada pumba, toma lá uma criancinha que é para veres como Eu sou O que manda nisto tudo e gosto de todas por igual mas gosto mais dumas que outras que é sempre assim quando a gente acha que merece muito uma coisa quem recebe é a pessoa que está ali mesmo ao lado e se não fosse cá por umas coisas que eu sei mas a Rosalina não ia começar a achar que se calhar Deus é estrábico!

 

Com a pressa claro que não deu tempo para organizar uma despedida de solteira como a Zefa queria, ela sempre disse que se um dia se casasse agarrava em todas nós e levava-nos para Las Vegas, ou pelo menos a Badajoz, mas assim acabámos todas no restaurante Estrela do Demo que qualquer dia ainda me acusam de estar a ser patrocinada pelo dono mas não, acontece que o Sr. Vitor deve ser das poucas pessoas que ainda atura as parvoíces das fufas aqui da zona e quando a Zefa lhe disse que queria que ele fechasse o restaurante para a festa de despedida dela ele encolheu os ombros mas disse logo que sim porque assim como assim o negócio está fraco e nem as vendas dos vouchers o têm safado.

 

Foi assim que no sábado à noite rumámos para o restaurante, eu sempre de trombas porque tenho esta cara que não dá para disfarçar e se não concordo com uma coisa toda a gente há-de ficar a saber e se calhar é por isso que dizem que eu tenho mau feitio mas daqui a uns tempos voltamos a falar que eu não dou um tostão furado pela Zefa mais a namorada e um filho que ela deve ter arranjado lá pela clientela do bar de alterne onde trabalha. As outras calam-se todas muito bem caladinhas porque o que este gajedo quer é festas, e desde que haja comida e bebida à descrição por elas está sempre tudo bem.

 

E comida e bebida foi o que não faltou na festa da Zefa, e muito ruído e muita palhaçada e eu confesso que houve ali uma altura que até eu me ri quando a Micaela saca duma boneca daquelas insufláveis já toda cheiinha e diz à Zefa que é a última vez que ela pode pôr a língua noutros buracos que não os da namorada e vai a Idalete e enche os buracos de chantilly e diz à Zefa que é para aproveitar que aquilo ao menos é docinho e a Zefa como já tinha bebido um bocado vai e enfia mesmo a língua nos buracos e fica cheia de chantilly por todo o lado e o que me vale é que tirei umas fotografias com o meu telemóvel e vou guardá-las muito bem guardadinhas porque nunca se sabe quando é que vão dar jeito no futuro!

 

No próximo fim-de-semana é o casamento, e a Zefa teve o desplante de me dizer que não me convidava para madrinha porque não queria lá uma mulher de trombas a estragar o ramalhete mas mesmo assim quer que eu vá porque somos amigas desde que somos gente e sempre é um marco importante na vida dela. E perguntou-me o que é que eu achava de convidar a Micaela para madrinha da criancinha, e eu disse-lhe que achava mal porque a Micaela não tem cabecinha nenhuma e uma vez quis à força ter uma gatinha mas depois como não lhe ligava nenhuma e esquecia-se de lhe dar comida a gata passava os dias a miar como se a estivessem a esganar e um dia tiveram que chamar a liga da protecção dos animais e tudo porque o raio da bicha não se calava e a Micaela estava ausente em parte incerta. Mais valia a madrinha ser a Rosalina, porque apesar de tudo ela sempre quis ter criancinhas, enfim, se for uma menina talvez seja melhor não, talvez seja melhor ser a Salomé ou a Idalete, embora se fosse eu a escolher não queria nenhuma das minhas amigas para madrinhas de criancinhas nenhumas, não por serem fufas mas porque são todas um bocado destrambelhadas e estou mesmo a ver um dia perderem a criancinha por aí e termos que ir à polícia fazer queixa e explicar que a culpa é toda desta sociedade que permite que tipos que frequentam bares de alterne possam fazer filhos às funcionárias sem que nada lhes aconteça e depois são as amigas das namoradas que têm que levar com os filmes todos quando as coisas dão para o torto! Porque vão dar, ou não me chame eu Lucélia Maria das Rosas!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:37


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Zefa a 17.01.2014 às 21:56

Olhá lá há coisas da despedida que não são para contar... Nada de estragar a minha reputação ahahah
Sem imagem de perfil

De bolas chinas a 02.02.2014 às 19:52

Eu realmente gostei de seu blog, saudações

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Links

Linques úteis




Sitemetro