Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O primeiro jantar do Clube

por Lucelia, em 28.11.13



Foi o primeiro e bem poderá ter sido o último dado o descalabro que se gerou no restaurante do Sr. Vitor, tão simpático que foi coitado e depois de tudo ainda acho que metade das safistas se pirou sem ter pago!

 

Mas voltemos ao início porque ainda agora comecei e já se me estão a dar os calores e não é da idade que eu estou muito benzinho para uma senhora que já passou dos cinquenta! No outro dia estava eu então a navegar na internet e em sites internacionais porque eu fui das que aproveitei os cursos de inglês lá da junta, embora tenha que ressalvar que sempre que a Tininha cá vem a casa dar um jeito eu peço-lhe para me descarregar legendas das coisas porque há assim frases que eu depois não entendo o que me chateia brutalmente, quase ao ponto de ligar para os senhores da ZON a reclamar mas depois lembro-me que aquilo que estou a ver no youtube não passa na televisão e não vou passar outra vergonha como daquela vez que o rapazito que nem vinte anos devia ter me disse que o que eu fazia não era uma utilização responsável e que se continuasse a importuná-lo ele ia fazer queixa de mim à polícia! Logo eu, uma pessoa do mais séria que há!


Bom, mas estava eu a ver assim coisas na internet e vi que havia uns clubes, uns de mães, uns de pessoas que sabem fazer assim artesanatos como colares e cachecóis, outros de pessoas que cozinham coisas e depois dizem que a receita fica melhor com mais salsa e a outra vai e diz que não que isso tira-lhe logo o realce e uma pessoa fica triste porque abre o frigorífico e nada, é um vazio que até dói a alma e só me apetece ligar à Tininha e pedir-lhe que vá ali ao Zé das Bifanas ver se me avia uma ou duas, não mais que depois o molho dele faz-me azia!


Então pensei cá para mim que devia organizar um clube, pois se eu tenho tanto tempo livre, agora que estou neste impasse entre uma baixa prolongada por dores em parte incerta mas que me deixavam caídinha de todo e a pré-reforma que há-de chegar não tarda porque com a minha idade já não consigo mesmo de todo aturar criancinhas, mas isso fica para mais tarde se não nunca mais acabo este relato! Meu dito meu feito falei aqui com a minha vizinha Salomé, a dos gatos, que achou uma excelente ideia até porque ela também andava a precisar de arejar que isto duma pessoa ser assim de meia-idade e não ter família só nos empurra é para coisas que não interessam nada a ninguém!


Pensámos logo em mais duas ou três amigas das daqui do bairro que sabíamos que não iriam dizer que não a uma jantarada! A Idalete claro, a Maria Antónia, a Rosalina, a Zefa, Nilda, a Micaela talvez, essa nunca se sabe onde anda com a cabeça para não falar da língua que eu até já lhe disse que ela um dia ainda ia presa porque mesmo as brasileiras que são todas oferecidas mesmo essas têm direitos e qualquer dia fazem queixa e ela vai dentro! Quando lhe disse ela e eu ralada porque parece que anda aí uma série mas eu ainda não vi porque preciso que a Tininha me vá desenrascar, e nessa série elas estão assim todas vestidas de laranja numa prisão e andam assim todas aos beijos e aos enrolanços e eu disse-lhe que até parece que nas Mónicas elas são assim como na tv! Enfim, Micaelisses à parte assim de repente já eramos uma boa dezena de fufas de meia-idade e fiquei eu incumbida de ir falar com o Sr. Vitor para ver se nos arranjava uma refeição a um preço simpático porque fufa que se preze gosta de enfardar mas para pagar é sempre um ver se te havias! E era aqui que eu me devia ter lembrado de lhes ter pedido o dinheiro à cabeça porque eu até gosto do restaurante do Sr. Vitor e agora já lá não irei nunca mais.


É o que dá a gente ter ideias peregrinas mas voltando ao jantar, primeiro houve uma confusão danada em darem com o sítio porque eu pensei que tinha ficado bem explícito que aquilo se chamava a “Estrela do Demo” mas uma vai-me à procura duma Estrela do Dente, outra duma Estrela do Dedo, outra duma Estrela do Dildo (esta foi a Idalete coitada, ela é assim um bocadinho enfim!), uma confusão que às tantas já passavam das dez da noite, eu e a Salomé ali ao frio a bater o dente e com uma fomeca danada e as outras nada de aparecerem! Foi preciso gastar o saldo todo do meu telemóvel e mais um outro tanto da Salomé que ainda por cima ficou furiosa comigo porque as outras não eram da mesma rede e ela queria era comer e antes sequer de entrar no restaurante já estava a ter prejuízo!


Horas depois, sim leram bem, horas depois do combinado lá estavam as fufas todas à entrada do restaurante. Eu já com o estômago colado às costas ainda tive que voltar atrás porque a Rosalina que tem a mania que é beata se recusava a entrar num sítio que dizia que era do demo! Lá rezámos umas avé-marias para a deixar mais descansada e vejo o grupo todo prestes a começar à batatada! Ainda vinha a metros da mesa e já as ouvia todas aos gritos e a cara do Sr. Vitor a variar entre o vermelho e o verde, e os outros clientes claro a mandarem-nas calar que ali era um sítio de gente de bem e não se podia estar com aquela algazarra. Minhas senhoras o que se passa? perguntei eu, a pensar que se calhar não viram pão na mesa, mas não fosse por isso que eu pedia já ao Sr. Vitor para nos aviar!


Ora tanta comoção devia-se tão somente ao lugar onde cada uma se iria sentar! É que umas achavam que deveríamos sentar-nos por idade, as mais velhas mais perto da casa de banho, outras por odem alfabética, e até a Idalete opinava e dizia que nos queria dispôr pelo tamanho do peito, valha-nos! Ora foi aí que se me deu uma fúria porque eu e a Salomé estávamos ali à horas! Fui eu que me sentei primeiro e com um berro a cada uma mandei-as sentar onde bem me apeteceu porque a paciência duma fulana tem limites bem delineados! Ainda houve uma ou outra que quis levantar cabelo porque ah e tal eu não queria ficar ao pé da Rosalina porque ela reza enquanto come e às vezes caem-lhe pedaços de comida da boca, e eu olha azar, tivessem chegado mais cedo que cada uma se sentava onde queria!


Finalmente todas sentadas e a dar-lhe na sangria, começa um novo filme, e eu que já vi tantos na minha vida e a pensar que podia estar sossegadinha na minha sala quentinha a ver a última novidade dos baixaki.com, desta vez para escolher a comida. Pois áquela hora o que esperavam? Claro que os pratos bons já tinham esgotado, as migas voaram, as sardinhas nem vê-las, grelhados só salsichas e tenho que ver quantas há, as batatas estão quase no fim, posso é fritar as cascas dizia o Sr. Vitor meio aflito. Basicamente só restavam pratos de forno que é como quem diz empadão e lasanha mas daquela que se percebe bem que não é de carne de vaca, que isso era dantes que agora com a crise a gente come imitações todos os dias e ainda dá graças aos supermercados low cost que nos trazem estas maravilhas culinárias!


Seguiram empadão e lasanha para todas porque o pão também já ia escasseando e tanta mulher de meia-idade a beber sem nada no bucho ainda ia dar mau resultado. Mas também depois de um copito ou dois que isto é tudo fulanas que não estão habituadas a beber já marcha tudo e algumas que eu não vou dizer os nomes até agradecem porque andam a adiar as visitas ao dentista e antes comerem comidinha passada que perder os poucos dentes que lhes restam! Ai se eu me pusesse aqui a contar os podres! Os meus não! Que eu posso ser remediada mas nunca deixei de prezar a minha belíssima dentadura. Copo puxa copo, o empadão e a lasanha foram bem recebidos, o Sr. Vitor lá sabe o que faz, a salada voltou toda para trás porque aqui ninguém gosta de coisas frescas e verdejantes, excepto talvez a Micaela que ainda tive que a agarrar mais do que uma vez porque esta mulher não pode ver brasileiras! A moça que nos servia coitada, bem percebeu o que a outra se babava. E com cada golo de sangria, mais se aventurava!


Depois de tudo ainda queriam sobremesas! E aí fui eu que me zanguei a sério com todas elas porque já tinha sido um filme ter convencido o Sr. Vitor a servir-nos sangria à descrição pelos 5 euros que elas queriam pagar! Pois neste jantar não ia haver sobremesa para ninguém e o café que o bebessem em casa que eu já estava fartinha de as aturar e fula da vida comigo e quem me manda a mim ter ideias parvas! É o que dá a gente por-se a ver aquelas séries assim de lésbicas em Los Angeles e sítios assim finos e ricos e depois pensa que pode fazer o mesmo nem que seja com um bocadinho menos de glamour no Estrela do Demo da Rinchoa! Alguma vez uma Jennifer se ia pôr a reclamar com o Sr. Vitor por não ter o multibanco a funcionar! Ah e tal porque me esqueci dos óculos em casa e não vi o letreiro em letras garrafais pespegado na porta de entrada a dizer “Não há Multibanco”! E alguma vez uma Alison iria à socapa pedir uma factura pelo valor total do jantar! E com número de contribuinte! Eu a ver a minha vida a andar para trás e o Sr. Vitor pois claro a querer receber o pouco que lhe era devido que com a quantidade de sangria que elas tinham emborcado esta noite já era só prejuízo!


Juntamo-nos todas e tivemos que despejar tudo o que tinhamos nas malas e bolsos e deixámos o Sr. Vitor à beira duma apoplexia a olhar para um enorme monte de moedas que espero eu tenham sido suficientes para pagar uma parte deste que foi o nosso primeiro jantar do Clube Safo da Rinchoa!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:06



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Links

Linques úteis




Sitemetro